Im.pulsa

Voluntariado nas redes e nas ruas (com segurança!)

Sobre a trilha

Para organizar ainda melhor o trabalho das voluntárias é preciso uma boa gestão que as mantenha engajadas ao longo de toda a campanha. E em tempos de pandemia, é preciso redobrar os cuidados para contar com o apoio delas ao levar sua campanha para as ruas. Acesse os materiais propostos por essa trilha para saber mais!

Outubro 13, 2020. Por Atados

Campanha de rua em tempos de distanciamento social

Em tempos de pandemia os brasileiros tiveram que lidar com adaptações diversas em diversas áreas (trabalho, escola, academia etc.), e nas alterações não será diferente. Neste texto, vamos entender como é possível colocar sua campanha eleitoral nas ruas pra jogo;)

 

As online 2020 estão impondo novos desafios aos seus candidatos. Há o primeiro diferencial, que já vem se mostrando como um desafio novo desde os últimos pleitos eleitorais, e que vem com ainda mais força esse ano, que é o uso das redes sociais para fazer campanha eleitoral. Pesquisas realizadas em 2019 dizem que chega a 45% do eleitorado, as pessoas que escolhem e decidem os seus candidatos pelas redes sociais. Esse indicador cresce ainda mais quando se trata da população jovem (16 a 29 anos), chegando a ultrapassar a marca dos 50%1 nesse recorte.

Porém, uma boa campanha eleitoral não pode ser feita só online, já que há um vasto público a ser conquistado de forma presencial. Isso leva os candidatos e sua equipe a terem que colocar literalmente sua cara no sol e suas vozes nas ruas. Até aí, tudo bem! Campanhas sempre foram feitas assim, né? Desde antes da Internet, inclusive.

Mas ninguém contava com 2020, o ano da pandemia mundial do Coronavírus, do difícil isolamento social geral. Agora, em tempos das mudanças no Brasil, está havendo uma melhora  nos indicadores das taxas de contaminação, ou seja, o número de infectados e mortos por Covid estão diminuindo diariamente. Isso, está levando as atividades ao benefício e sociais, pouco a pouco, sendo re-qualificada e / ou reconfiguradas para essa nova situação.

Mas mesmo frente a esse contexto, não podemos esquecer que ainda estamos convivendo com o vírus e que precisamos tomar muito cuidado pessoal e coletivo em qualquer atividade que nos propomos a fazer. E é por isso que criamos essa cartilha! A meta é ajudar com o desafio do momento: como aproximar as pessoas das nossas campanhas em um momento de distanciamento social.

Voluntários na saúde e na disposição, até que a Urna os separe.

Para além de fazer o chamado tradicional de voluntários para ações de rua, da forma que a sua campanha achar mais adequado, sugerimos que seja feito uma checagem mais próxima às ações das ações, buscando averiguar a saúde dos mesmos e das pessoas com quem convivem nesse prazo mais próximo possível do momento de interação. 

Para isso, seja necessário fazer mais de uma média com os mesmos voluntários permanentes (que vão se envolver de forma não pontual) para ações em dias ou semanas diferentes, buscando garantir a segurança do tempo, na medida seja possível. 

Conseqüência que seja enviado um formulário simples para cada ação de rua buscando averiguar informações como: se já teve ou não COVID, se alguém teve ou não COVID nos próximos 21 dias, se você ou não população de risco, se convive de forma direta com alguém que seja população de risco e caso sim, se está ciente dos riscos, além de uma checagem de possíveis sintomas nos últimos dias. Esse formulário tem por função buscar a prevenção do grupo, e assegurar que a equipe de campanha está tomando todas as precauções possíveis.

Pré produção para as ruas:

É muito importante que seja criado um pequeno guia com as instruções de como ir para as ruas, podendo ser um impresso simples, uma mensagem de Whatsapp ou um e-mail. Importante evidenciar o que é responsabilidade individual, ou seja, do voluntário levar e o que é de responsabilidade da campanha, de forma bem explícita. A ideia é demonstrar cautela, preocupação e cuidado com todos. Seguem algumas sugestões de pontos a delicados:

Responsabilidade Individuais – Dos voluntários:

  • Máscaras, máscaras e máscaras! É obrigatório estar de máscara se fazer parte do tempo de campanha, inclusive se para um voluntário pontual, e usar de maneira correta o tempo todo! Leve a sua máscara e opte por modelos que sejam seguros e confortáveis, para que seja possível passar o dia todo na rua, sem sentir a necessidade de tirá-la. E as máscaras possuem mais uma função muito essencial: Não ser confundido com negacionistas.
  • Álcool em gel para uso pessoal – Peça para os voluntários levem um pequeno frasco de álcool em gel para higienização de suas próprias mãos de tempo em tempos!
  • Luvas – Sugere-se que as luvas sejam opcionais, mas é legal lembrar que é uma proteção que e que ajuda bastante existe, principalmente para distribuição de panfletos. As luvas podem ser algo ofertado pela campanha, se achar que faz sentido. 
  • Água e protetor solar: Lembre suas voluntárias de levar uma garrafinha de água e se hidratar! Se tiver muito sol também passar protetor solar 🙂

Responsabilidade da Campanha:

  • Retirada dos kits de Campanha de Forma segura – Tentar programar a retirada dos mesmos sem aglomerar como pessoas em um mesmo ambiente. Tentar fazer com que as pessoas façam as retiradas para si e para as pessoas de uma mesma ação, ou que sejam próximos da sua região.
  • Álcool em Gel para Geral! – Talvez fornecer um borrifador ou um spray para uso coletivo, ou seja, para as pessoas que se aproximam para conversar e pegar o panfleto pode ser legal.
  • Ideias de como manter uma boa distância próxima ou uma próxima boa distância – Sugerir formas de abordar como pessoas sem toques, sem muita aproximação, sem ser invasivos, demonstrando responsabilidade com o contexto que estamos vivendo e com uma escolha individual de cada um é bem vindo , já que por mais que pareça algo trivial, não o é. A imagem da sua campanha pode estar em jogo aqui, por isso, todo cuidado é pouco!

Protegidos e Avante! – Indo para as ruas:

  • Que tal criar um grupo no whatsapp só para quem irá panfletar? – Assim é possível manter a distância para conversas entre o próprio grupo, garantir uma comunicação eficaz e um acompanhamento do que está rolando, com fotos para redes sociais em tempo real. E ah, incentivo todos contarem histórias de como foi o seu dia e fotos das suas ações, mantendo o grupo animado!
  • Panfletaços – Talvez concentrar em menos datas ações maiores, pode ser uma forma de otimizar os voluntários, que em grupos maiores se sentem mais estimulados, como ações possuem maior impacto visual (se bem identificado) e garantindo menos circulação das pessoas, mas com mais efetividade e engajamento no dia da ação.
  • Panflete em sua rotina – Aproveitar a circulação rotineira dos voluntários pelas cidades e as interações orgânicas do seu dia-a-dia pode ser uma forma de evitar novas circulações das pessoas e potencializar a constante participação dos voluntários. Gere reflexões sobre os ambientes onde moram (ruas, condomínios, pontos populares no bairro), onde trabalha, onde exerce atividades cotidianas.

Ideias para o Panfletaço:

  • Não distribua os materiais, incentive as pessoas a pegarem o seu! Talvez ter uma mesa com os panfletos sobre ela e um anúncio solicitado que cada um pegue o seu material – de forma convertida ou contextualizada, pode ser uma forma respeitosa de distribuir o material sem ser invasivo.
  • Cartazes e Placas – Que tal cartazes, homem-placas e / ou outros materiais visuais que acontecem como pessoas consigadoras, entendendo sobre o que se trata e se aproximar se houver interesse. Há muitas formas de fazer placas e cartazes engraçados, criativos e convidativos.
  • QR Code – Digitalizando o seu material – Que tal um banner com QR Code onde as pessoas podem acessar os materiais de campanha apenas scanneando o QR Code? Pode ser uma forma inteligente e sustentável de fazer com que as pessoas levem consigo e compartilhem o seu material.
  • Telefone de Fio da nossa infância – Sabe aquele telefone com duas latinhas e um barbante que permite uma comunicação super divertida entre duas pessoas? Que tal ousar e ver se funciona? Ele com certeza vai levar as pessoas a suas infâncias e a gostarem da distância mantida para o diálogo. Lembre-se de ter o material para higienizar cada troca de participante. 

Falamos todos a mesma língua? – Agora é hora de alinhar o discurso à prática!

Agora que você já está com os voluntários prontos para ação, estratégia de abordagem definida e os kits distribuídos, que tal ter certeza que todos sabem como agir e que falar?   

Os dois conteúdos que podem ser materializados em um vídeo curto ou um guia simples em tópicos. Os temas são:

A Estratégia de abordagem: em um formato de vídeo simples ou um pequeno guia em comum, falando sobre como você gostaria que sua equipe se comportasse nas ruas e porquê essas escolhas. Esse material precisa ser convidativo, amigável e estimulante. Precisa ser distribuído de forma simples e rápida. Você pode gravar um vídeo de um dia seu fazendo campanha nas ruas, para mostrar de forma tangível sobre o que está falando.

Vale apresentar o que “pode ​​e não pode”, porque as pessoas desconhecem as rígidas e exigidas eleitorais. Exemplos: Não pode colar adesivos, cartazes etc. em pontos de ônibus, espaços públicos. Não pode panfletar em parques públicos e espaços fechados. Não pode doar materiais, comidas etc. E assim por diante. 

Conteúdo da Campanha e da Candidatura

  • O que é importante falar da candidata ao entregar o panfleto? 
  • Quais são as principais pautas da candidata? 
  • Qual o território da candidata, seu histórico e quem ela pretende representar se eleita.
  • Se tiver tempo, faça um documento com perguntas frequentes para disponibilizar. 
  • Caso a voluntária não saiba responder à alguma pergunta onde pode direcionar para que uma pessoa encontre a resposta? Local? Redes sociais? Algum canal de comunicação? 

Dica: quem está panfletando pode tornar a comunicação mais pessoal e contar porque ela acredita na candidata.

Alegria e Confiança! 

Animação, energia, postura e criatividade também ajuda sua panfletagem a ser um sucesso! Seguem dicas para o tempo de voluntários:

  • Se prepare para um dia nas ruas! Panfletar e conversar com as pessoas dá uma canseira danada. Lembre-se de descansar no dia anterior, comer bem nas refeições e estar motivado para ação. Venha com muita energia e motivação para sua divulgação candidata do coração <3 
  • Aborde as pessoas com educação e respeito.
  • Não discuta com uma pessoa que não quer votar na sua candidata ou não concorde com o que você apresentou;
  • Não brigue com opositores ou pessoas que venham confrontar o seu trabalho. Lembre-se que o defensor da democracia é acreditar que existe um espaço para todos. 
  • Sua postura e forma de agir são responsabilidade da campanha que você representa. Por isso, todo cuidado é pouco! 
  • Divulgue uma panfletagem nas suas redes pessoais – Essa é uma forma dos voluntários darem mais potência à ação de rua, divulgando em suas próprias redes sociais o seu dia de campanha. Não esqueça de taggear a sua candidata!
  • Panfletar é cansativo mas efetivo! Lembre-se disso como um mantra e continue animada \ o /. Aquele sorriso, mesmo atrás da máscara, é super bem vindo! 

 

  1. https://congressoemfoco.uol.com.br/eleicoes/quase-metade-dos-brasileiros -usa-rede-social-para-definir-voto-indica -datasenado /
Atados

Plataforma social online que conecta pessoas à oportunidades de voluntariado em causas sociais.

e-mail

Fique por dentro!

Receba as novidades da Im.pulsa no seu e-mail