Im.pulsa

Perguntas

Qual o primeiro passo para desenvolver minha estratégia de campanha?

O primeiro passo para a construção de qualquer estratégia efetiva é fazer um diagnóstico. Você precisa compreender quais são as peculiaridades da sua campanha, o contexto no qual ela está inserida, quais são seus principais desafios e suas principais oportunidades e responsabilidades. Um bom trabalho inicial de pesquisa vai ser de grande ajuda no desenvolvimento da sua estratégia, pois com o apoio das informações você pode tomar decisões mais inteligentes e objetivas, sabendo exatamente quais são suas prioridades, direcionando melhor seus recursos financeiros e sua energia.

Devo ter alguma formação acadêmica para entrar na política?

É perfeitamente possível entrar na política sem nenhuma formação acadêmica, mas, os eleitores estarão mais inclinados a votar em você se você for formada. Segundo dados do TSE, 80% dos deputados federais eleitos em 2018 possuem ensino superior completo. Ter ao menos um diploma de graduação mostra aos eleitores que você está informada sobre os eventos atuais e as estruturas políticas do país.

Como definir meu público-alvo?

Por meio de pesquisas! Você deve conhecer o perfil do seu eleitor, saber quais as características dos eleitores que têm mais possibilidade de votar em você, onde eles tendem a morar ou quais lugares mais freqüentes. Existem 3 diferentes maneiras de determinar quem são seus eleitores alvo: renovação geográfica, dados demográficos e reserva psicográfica. 

Como desenvolver meus projetos de políticas públicas?

Essa é uma preocupação importante, mas que é um passo que você deve se preocupar de fato somente depois de eleita, antes disso você ainda não tem a necessidade de produzir projetos em si. Sendo assim, durante a campanha, é importante que você simplifique sua mensagem e tenha cuidado para não prometer projetos que não sejam de fim do cargo que você está pleiteando e que também não sejam possíveis / factíveis. De qualquer modo, faz-se importante estudar a legislação, as políticas governamentais e os padrões dos eleitores do seu país, estado ou cidade. Essas informações vão para ajudar a construir suas plataformas de campanha, entender seu público alvo e ajudar a desenvolver seus projetos de políticas públicas no futuro.

Sou um pouco tímida, isso é problema?

A timidez não é um fator determinante, porém é necessário que seja trabalhada. Isso porque surgem muitas hipóteses na campanha e no próprio cargo que falar em público necessário. É de suma importância para a desenvoltura do próprio cargo, além de ser muitas vezes a forma com a qual você irá se posicionar. Tendo isso em vista, para trabalhar a timidez e vital que haja prática, assim, é ideal que você tenha poucos poucos conversando com pequenos grupos para adquirir mais segurança em si mesma e com isso ir conquistando confiança para públicos maiores. Outra boa ideia é fazer aulas de teatro e / ou oratória!

Me mudei recentemente para minha cidade atual, isso é um problema? Devo adiar minha candidatura?

É importante ter em mente que os eleitores procuram votar em nomes conhecidos e / ou em pessoas que demonstram que realmente se importam com o bem estar de suas famílias e comunidade. Sendo assim, é de grande excluído que você se envolve com os problemas locais da sua comunidade, além de ser uma forma para aprender mais sobre política e como os moradores rapariga cidade e / ou bairro enxergam como demandas e locais locais. Além disso, se você já teve alguma experiência na luta por alguma bandeira ou posição de liderança, mesmo que tenha sido na outra cidade, pode ser usado para melhorar suas características e se inserir esses grupos, podendo mostrar suas categorias para uma população e conquistar a confiança, entendendo os critérios relacionados e se referência.Fazendo isso, não será necessário adiar a sua candidatura.

Como ficar mais conhecida na minha cidade?

Se ofereça para ajudar nos problemas locais da cidade, seja voluntária, participe de comícios e reuniões para que possa se conectar com as pessoas, ouvir suas histórias e, também, testar sua habilidade de falar em público! Seja uma cidadã participativa, atuante e dinâmica, demonstrando interesse social em ajudar uma sociedade, assim, naturalmente seus eleitores perceberão que você tem potencial para ser da mesma forma no cargo eletivo de seu interesse.

Como lidar com as críticas?

Durante uma campanha, infelizmente, é natural que você receba algumas críticas e melhorias pessoais, mas é necessário que você mantenha o equilíbrio emocional, não aja no impulso, não se deixe abater e nem demonstre que pode ter ficado abalada em público para que não dê quadro e munição para que seus concorrentes continuem te atacando. Você conhece as suas fraquezas, liste elas e crie vacinas que serão aplicadas nos casos em que os outros candidatos atacarem suas fraquezas e soluções. Essas vacinas são ideias ou mensagens que você já deve deixar prontas para usar em algum momento oportuno em que tenha que se defender, elas devem ser carismáticas e educadas, nunca ofensivas.

Tem problema eu assumir meus votos nas eleições passadas? Devo evitar isso ou não?

Você tendo em vista seu público alvo e a ideologia do seu partido, pode analisar se assumir esses votos serão positivos ou não para sua campanha, se trará mais representatividade e conquistará votos ou não. É importante ter em mente que as tendências tendências foram muito polarizadas, talvez um posicionamento muito radical não agrade a maioria do eleitorado.

Posso ou devo criar amizade com outras candidatas? Isso é mais positivo ou negativo?

É interessante você observar quais ou candidatos podem ser seus aliados, de preferência aqueles que você acredita que não desejam de encontro com seu público alvo, mas que proporcionam experiências, informações e trocas importantes para todos. Todo o movimento será observado pelos eleitores e por isso deve ser alinhada com suas ideologias e respeitar o diálogo saudável.

Vale a pena investir em santinhos (panfletos)? O quanto e qual a importância?

Os santinhos são importantes para que uma pessoa guarde e não esqueça quem é você até o dia da eleição. Muitas vezes você só teve contato com o eleitor no começo da campanha e se não deixou nenhum material com ele, outro candidato pode vir e deixar. Se ele se interessa por você mas não lembra seu nome ou número, pode acabar votando no candidato que deixou o santinho por último. Por isso é relevante que você tenha santinhos para distribuir votos votos no encontro com os eleitores.

O que é mais importante na comunicação com o eleitorado?

A mensagem deve ser clara e chegar ao ponto em pouco tempo para ser facilmente compreendida. Não pode deixar dúvidas sobre qual lado você está e coerência com as bandeiras que defendem. Também precisa ser concisa, pois alguns eleitores podem ter pouca paciência para ficar ouvindo sobre política. Você precisa ser capaz de entregar sua mensagem em poucos minutos para manter a atenção do eleitor. Por último, sua mensagem precisa ser consistente, o que significa que ela deve se manter ao longo da campanha e ser repetida toda hora. 

Participar de comícios é importante?

Os comícios podem ser relevantes para você se conectar com as pessoas, ouvir histórias e testar sua habilidade de falar em público. Em encontros como as pessoas estão dispostas e abertas a conhecer e por isso é muito importante que a participação tenha uma comunicação clara e conecte-se-se com o eleitor em suas causas.

Como saber quantos votos preciso para me eleger? E como trabalhar em cima disso?

Para cargas de presidente, governadores e prefeitos, utiliza-se o sistema majoritário e assim simplesmente aquele que teve a maioria absoluta dos votos válidos é considerado legalmente eleito para a carga em disputa. Ou seja, basta o candidato ter mais de 50% dos votos, não considerando os votos brancos e nulos. Quando isso não acontece, uma disputa é definida no segundo turno entre os dois candidatos mais votados. Além disso, na eleição majoritária, o segundo turno só ocorre em cidades com mais de 200 mil eleitores. Para senadores, por não haver segundo turno, serão eleitos os que tiveram mais votos, ou seja, maioria simples.

 

Para as adaptações de deputados e vereadores, utilizamos o sistema proporcional, o que pode gerar alguma confusão por exigir um cálculo e com frequência gera dúvida e debates. Mas acompanhe abaixo o passo a passo do cálculo:

 

Primeiro é preciso identificar o quociente eleitoral através da aplicação da fórmula matemática abaixo:

Quociente eleitoral (QE) = número de votos válidos / número de vagas

 

E após determina-se o quociente partidário que é o resultado do número de votos válidos escolhidos pelo partido, dividido pelo quociente eleitoral

Quociente partidário (QP) = número de votos válidos do partido / quociente eleitoral

 

O resultado será o número de vagas que o partido terá e assim os candidatos mais votados deste partido se colocarão essas posições.

 

Em havendo sobra de vagas, divide-se o número de votos válidos do partido pelo número de lugares escolhidos mais um.

 

Lembramos que a partir das vantagens de 2020 não é mais permitida coligações para as cargas proporcionais, o que gerava muita dúvida. A partir deste ano o cálculo do QP, se apenas pelos votos válidos do partido.

 

Com o resultado do quociente eleitoral você já tem uma ideia de quantos votos válidos são transferidos para uma cadeira disputadas e assim pode analisar, em dados de atualização passadas, os partidos que atingiram esse número. Como nas atualizações anteriores a era coligação bem comum fica difícil essa análise de dados passados ​​caso sua localidade tinha essa prática como costume, mas utilizar esse número como seus meta de votos.

Como saber quais os partidos mais fortes?

Uma dica aqui é marcar conversas com pessoas que entendem bem da história política da sua cidade e buscar essa informação com elas. Busque pessoas com perfis e opiniões diferentes! Além disso, pesquise quais foram os partidos mais votados nas atualizações e quais os partidos com maior rejeição. Lembre-se de que esse entendimento pode mudar de uma eleição para outra e que estar alinhado com uma ideologia do partido e compartilhar os mesmos objetivos é essencial para a sua identificação com o partido e sentir-se apoiada pelo mesmo em sua trajetória política.  

Como saber em qual partido devo me filiar para ter mais chance de ser eleita?

Marque reuniões com representantes dos partidos que aparentemente você mais se identifica, converse e veja qual mais te agrada e mais te oferece, além de buscar saber se esses partidos são bem vistos pela população. Analise os candidatos dentro do seu partido, se são candidatos com muita experiência, se já foram eleitos, pesquise e estude para fazer uma estimativa de quantos candidatos podem ser eleitos por aquele partido e veja se você com sua meta de votos tem reais chances de ser eleita. É uma decisão muito pessoal e diretamente ligada com sua ideologia e o que pretende em sua vida política, por isso dedique-se muito a essa decisão através de estudo e muita reflexão.

Como conciliar campanha e família?

O trabalho em campanha política pode demandar uma dedicação incrível e para mulheres, muitas vezes também mães, traz dificuldades em conciliar a família e o trabalho eleitoral. Uma saída pode ser buscar o exemplo em mulheres que conseguiram superar essas dificuldades, umas encontrando saída em levar seus filhos em algumas atividades de campanha ou em uma rede de apoio que pode ser melhor a família em ausências. Converse com sua família, pense no que é importante manter durante o período de campanha e como pode ser feito. Planejar ações e criar condições que seguem um caminho mais suave para os familiares próximos, mas que também não interfiram nos objetivos de campanha pode ser desafiador, mas também deixará, não apenas você como sua família mais para enfrentar esse período intenso.

Dúvidas? Você pode nos escrever em nossa seção de contato

e-mail

Fique por dentro!

Receba as novidades da Im.pulsa no seu e-mail