Im.pulsa

Eleições 2022

Sobre a trilha

Como se planejar para colocar sua candidatura em prática nas próximas eleições do país, e por onde começar na pré-campanha.

Junho 9, 2022. Por Impulsa

Pré-campanha: o que pode e o que não pode

*Por Joanna Bennus

A corrida eleitoral já começou! E a pré-campanha é o momento de construção da imagem de uma candidatura. Este é o momento de se conectar em rede, se tornar conhecida e debater suas propostas e ideias com as pessoas. 

Também é importante destacar sua capacidade de ouvir e acolher a população e sua importância representativa como liderança política.

Para te dar suporte nessa caminhada, fique atenta aos prazos, ações permitidas, proibidas, táticas de comunicação, mobilização, agenda e estratégias para potencializar os rumos da sua pré-campanha!

Aprenda a organizar, através de estratégias, sua pré-campanha, aumentando o alcance do seu eleitorado e obtendo visibilidade às pautas com as quais dialoga seu projeto de mandato.

Estratégias e práticas para alcançar seu  eleitorado!

No Brasil, homens brancos continuam sendo historicamente a maioria das candidaturas em todas as  eleições. “De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) , nas eleições de 2018 por exemplo, as mulheres representaram apenas 33,54% das candidaturas. Dentre elas, 49,51% são brancas e 48,57% negras. Dentre as negras, 10,76% se declaram pretas e 0,39% indígenas. 

Quando focamos nas estatísticas das candidatas eleitas, caímos para 16,20% do poder representativo, ou seja, menos de 50% das que se candidataram. Como, então, ampliar a nossa participação nesses espaços? 

Precisamos de estratégias  para mobilizar pessoas e alianças. Tenha em mente que, investir na pré-campanha é contar com o tempo, sendo este um grande aliado para o planejamento e amadurecimento de táticas.

É esse tempo que vai garantir o amadurecimento das propostas, ações, conexões entre sua equipe, comunicação e contato com eleitores, promovendo uma campanha enraizada e receptiva para seu eleitorado. 

Fique atenta!

Ainda que a pré-campanha traga diversas vantagens aos partidos e às candidatas, deve-se evitar  atentamente os crimes eleitorais, que podem gerar punições fiscais ou até mesmo a cassação da sua candidatura.

Para você não perder tempo, sistematizamos as principais permissões, proibições e estratégias cabíveis aos eixos de comunicação, mobilização e agenda política! Vem com a gente, estamos aqui para te dar essa força!

Comunicação: 

Pilares para sua pré-campanha:

  • apresentar seus posicionamentos
  • ouvir a comunidade;
  • fortalecer sua audiência;

Desenvolva argumentos fortes através de canais de transmissão que permitam diálogo com o eleitorado. Trabalhe na criação constante de conteúdos relevantes, pensados com estratégia, demarcando seus eixos de atuação política. 

Ações permitidas

  • Declarar pretensão de candidatura;
  • Lançar sua pré-candidatura;
  • Apresentar seus posicionamentos políticos;
  • Exaltar suas qualidades;
  • Promover convenções e congressos partidários, desde que em local fechado. Nestes eventos, pode-se distribuir material informativo e divulgar os nomes que participam da disputa;
  • Argumentar e dialogar sobre políticas públicas em eventos online e presenciais;
  • Dar entrevistas para veículos de comunicação;
  • Fazer viagens para outras cidades e estados no intuito de participar de encontros e eventos políticos;
  • Impulsionar conteúdos a partir da Resolução nº TSE 23.610;
  • Realizar lives e eventos virtuais voltados para arrecadação de recursos para a campanha;
  • Lançar vaquinha para arrecadação de recursos para a campanha;
  • Faça redes de transmissão no Whatsapp e compartilhar seus conteúdos e opiniões;  

Ações proibidas

  • Não use o slogan que vai ser usado na campanha ou número identificador do partido ou candidata;
  • Pedir voto explícito ou implícito (utilizar palavras como eleja, vote, apóie, nas plataformas de comunicação, aparições públicas ou em veículos de comunicação);
  • Showmícios (esses são proibidos durante toda a campanha), comícios e carreatas;
  • Dispor de grandes quantias para financiar a pré-campanha. São proibidos gastos expressivos principalmente em marketing;
  •  Concessão de entrevista a programas de televisão sem que ela esteja inserida no contexto de debate político, ou tenha teor jornalístico. Em hipótese alguma a pré-candidata pode pagar, ou abonar programas ou canais de TV por sua participação;
  • Insultar ou pedir o não voto a outros pré-candidatos;
  • O uso de  ferramentas publicitárias  como placas, outdoors, telemarketing em nenhum momento durante o período eleitoral.

Fique atenta ao TSE! 

Os focos do TSE são:

  • Financiamento ilegal de campanhas;
  • Propaganda eleitoral antes do prazo;
  • Abuso do poder político ou econômico;
  • Captação ilícita de votos;
  • Condutas que possam afetar a igualdade de oportunidades entre os candidatos.

Estratégia:

Geralmente não contamos com muita verba nas campanhas de mulheres, por isso, é importante fazer pesquisas para entender como se comunicar da melhor forma com seu eleitorado, melhor momento, formato e veículos.

Conheça estratégias que têm alcance mais efetivo:

  • Faça pesquisas. Pesquise seu nome em todas as redes e jogue seu nome no Google para observar as informações que aparecem primeiro. Monte seu perfil nas redes sociais lembrando que seu eleitorado vai buscar informações sobre você lá! E no Google também! 
  • Pesquise também sobre seus concorrentes na disputa e se prepare melhor para o debate eleitoral;
  • Entenda quais os territórios seus adversários vão trabalhar na campanha e as pautas que eles defendem;
  • Quem é a candidata, seus posicionamentos e propostas são dúvidas primordiais, posicione-se nas redes sociais;
  • Estude assuntos que estão em alta no decorrer do processo eleitoral;
  • Conecte assuntos que quer abordar com os anseios e a realidade da população;
  • Público alvo: Entenda com quais públicos você vai dialogar e quais públicos não valem a pena pra você;
  • Pesquise o perfil das pessoas que estão apoiando sua candidatura nas redes e entenda a melhor forma de abordar suas ideias e propostas;
  • Identifique os influenciadores e jornalistas que discutem e abordam focos alinhados à sua campanha. Busque interação, não foque apenas em seus canais de comunicação;
  • Faça uma lista de transmissão divulgando os conteúdos das suas redes sociais e eventos que vai  participar;
  • Use o Whatsapp Business, lá é possível organizar contatos por categoria e enviar respostas automáticas;
  • Use linguagem simples e acolhedora; 
  • Só receberão os conteúdos desta lista de transmissão as pessoas que salvaram o seu contato em seus aparelhos;
  • Faça listas de e-mails, configure seu servidor para não cair em caixas de spam. Se possível crie um formulário  para captação de e-mails. Não se esqueça de linkar esse formulário em suas redes sociais.

Mobilização: 

METODOLOGIA CAA – Captar, Agregar e Articular

Quando o assunto é mobilização, sabemos que esse tripé sustenta uma trajetória de campanha desde o seu planejamento. 

  • Busque uma equipe forte e engajada para a construção dessa caminhada política;
  • Insira simpatizantes e pessoas apoiadoras no seu plano de comunicação (pedir ajuda com compartilhamentos, posicionamento nas redes, tudo conforme as regras do TSE apresentadas acima);
  • Identifique as lideranças políticas locais, sejam de ongs, projetos culturais, diretórios ligados a estudantes, trabalhadores e etc. Todos podem ser uma possível aliança para estabelecer diálogos; 
  • Identifique pessoas e grupos que também realizam mobilizações alinhadas às suas. São potenciais colaboradores;
  • Organize uma coordenação de campanha com as lideranças que apoiam seu projeto. Elas serão importantes para o alcance de seus objetivos;
  • Tire fotos dos encontros. Fotos são documentos;
  • Redes sociais: lives, tuitaços, eventos virtuais, campanhas de curtidas/descurtidas, abaixo-assinados virtuais, combate a fake news, e por aí vai;
  • Organize um cronograma eleitoral. Fique ligada no tópico da agenda a seguir que falaremos mais sobre isso. Alinhar ações e prazos é essencial;
  • Gráficas costumam concentrar muitos pedidos no período eleitoral, por isso, organize seus pedidos com antecedência;
  • Organize uma lista qualificada de contatos com nome, telefone, e-mail, perfis nas mídias sociais, segmento de atuação, interesses, local de referência, bairro. Aproveite a ferramenta do Excel);
  • Use o método SWOT ou FOFA (Forças, Oportunidades, Fraquezas e Ameaças), para pensar seu planejamento de mobilizações.

Análise FOFA, por que você deve fazer uma? Como fazer?

A análise FOFA é uma técnica de planejamento que vai te ajudar muito a montar a estratégia da sua campanha eleitoral.

CHECKLIST MOBILIZAÇÃO

  • CATEGORIZE SEUS CONTATOS, PASSE LISTAS DE PRESENÇA NOS EVENTOS QUE FIZER OU PARTICIPAR, ORGANIZE-OS EM PLANILHAS E PENSE EM COMO ABORDAR SEUS CONTATOS SEM SER CANSATIVA;
  • FAÇA UM LEVANTAMENTO DE QUANTAS PESSOAS APOIADORAS E DA MILITÂNCIA ATIVA QUE PODEM TE APOIAR;
  • PENSE NUMA ESTRATÉGIA PARA AGREGAR VOLUNTARIADO;
  • LISTE COM QUEM VOCÊ PODE CONTAR PARA PENSAR UMA AGENDA DE AÇÃO;
  • PENSE ESTRATÉGIAS ESPECÍFICAS PARA CADA CANAL DE COMUNICAÇÃO. CADA UM TEM SUA LINGUAGEM. SE POSSÍVEL INVISTA NO ACOMPANHAMENTO PROFISSIONAL;
  • FAÇA UM MAPEAMENTO DE IMPRENSA E DESCUBRA POSSÍVEIS APOIADORES DAS PRINCIPAIS CAUSAS QUE DEFENDERÁ NA SUA CAMPANHA;
  • MAPEIE BONS FORNECEDORES NESSE PERÍODO PARA O MATERIAL GRÁFICO (LEMBRE-SE SEMPRE DE TER UM RESERVA);
  • A MOBILIZAÇÃO TAMBÉM É UMA QUESTÃO TERRITORIAL, MAPEIE AGENDAS POSSÍVEIS E PEÇA APOIO AOS MOVIMENTOS E PESSOAS COM QUEM VOCÊ JÁ DIALOGA;
  • PLANEJE 3 CENÁRIOS ORÇAMENTÁRIOS PARA SEU PROCESSO ELEITORAL, UM PESSIMISTA, UM OTIMISTA E UM REALISTA E ESTEJA PREVENIDA NA HORA DE SE ADAPTAR.

Orçamento de campanha eleitoral

Passo a passo sobre como montar o orçamento da campanha eleitoral

Agenda:

Na pré-campanha você já pode fazer sua agenda acontecer! É a agenda que vai dar oportunidade de fortalecer suas alianças, alcançar o eleitorado e ser reconhecida como potencial candidata. Este é o momento de planejar qual vai ser a forma estratégica de acompanhamento que você precisa! Afinal, é muita informação para administrar, não é mesmo?

Então segura essas dicas e põe na prática que agenda não faltará!

  • Organize sua agenda mensalmente. Não esqueça de fazer revisão semanal para incluir programações que possam surgir. Isso evita o desgaste de organizar por semana e vai facilitar enxergar possíveis momentos de descanso;
  • Responda as perguntas: O quê, quando e onde. Tenha uma agenda organizada com datas e horários para que você não corra o risco de convergir programações;
  • Subcategorize a agenda para pensar em campos estratégicos de participação; 
  • Qual está sendo a agenda do seu partido para visibilizar as candidaturas? Há uma grande disparidade nesse segmento quando se trata de apoio a candidaturas de mulheres? Preste atenção e sempre que possível se associe a outras mulheres para ocupar esses espaços caso lhe falte convites. Quais estão sendo as agendas locais que dialogam com as pautas que você defende?
  • Esteja com a escuta disponível nas agendas em que participar. Se você quer representar pessoas  dificilmente estabelecerá vínculos se fizer falas longas e de pouca escuta;
  • Pense nos segmentos da população que quer atingir e veja como chegar a esses lugares;
  • Tenha sempre um acompanhante da equipe que possa ficar responsável por fotos de sua participação. Se possível também faça curtas gravações de suas falas que possam ser utilizadas nas redes;
  • Não esqueça de descansar, da pré-campanha até a campanha o caminho é longo, saiba ter intervalos para manter sua saúde na condução desse processo;
  • Faça uma planilha pensando na distribuição dos materiais de campanha, pois isso também tem relação com sua agenda. Onde panfletar, onde distribuir materiais, a pré- campanha vai te ajudar a selecionar com estratégia e tempo. Então registre tudo!

PRAZOS IMPORTANTES- DA PRÉ-CAMPANHA À CAMPANHA

Calendário eleitoral Brasil 2022

Calendário eleitoral Brasil 2020, para auxiliar com as datas e ações da campanha.

 

É mulher, ninguém disse que seria fácil! Romper com o silenciamento de mulheres na política nos exige muita estratégia, apoio, planejamento e organização. Não desista! Continue no caminho da transformação da política nacional!

 

Sobre a Autora: Joanna Bennus é Comunicadora Social, pesquisadora, produtora, ativista do movimento de mulheres negras e LBTs e atualmente é integrante da equipe de Comunicação do Odara – Instituto da Mulher Negra. 

Revisão: Monique Alcântara