Im.pulsa

Pós-campanha – o que fazer?

Sobre a trilha

Como encerrar a sua campanha transformando a jornada eleitoral em conhecimento, as memórias afetivas em aprendizados, além de ter o auto-cuidado como prioridade e se preparar para a fase de prestação de contas que está logo ali! Nesta Trilha você encontra alguns conteúdos e ferramentas para te ajudar nesse momento tão importante!

Novembro 24, 2020. Por Im.pulsa

Sistematize sua campanha eleitoral

A memória da sua campanha pode ser muito mais precisa que as informações pontuais que suas emoções vão armazenar. Independente se o seu atual desejo é o de enfrentar novamente um pleito eleitoral ou não, lembre-se: o momento agora não é o mais adequado para tomar uma decisão. E quando chegar a hora, um relatório sistematizado com todas as informações e aprendizados desse processo com certeza ajudará muito.

Relatorizar não é algo fácil. Para a maioria das pessoas, não chega nem perto de ser uma tarefa gostosa. Por isso, a sugestão aqui é que o relatório e a sistematização de arquivos seja feita agora, focando no(s) seu(s) objetivo(s) para esse material, e depois executado da forma mais célere possível, para que você não perca o ânimo e nem o foco antes de fechar um memorando que te agrade.

Ele não precisa ser lindo ou perfeito, podendo ser apenas um arquivo simples, mas bem organizado, com vários links, imagens e textos de referência, ou seja, um espaço de reflexões aleatórias e de acúmulo de materiais que você possa revisitar. Mas, se você quiser, ele também pode virar um documento organizado ao ponto de ser compartilhado por aí.

A nossa sugestão apenas é: sistematize sua campanha!

Objetivos

A lista de objetivos abaixo apresenta apenas sugestões motivadoras para você produzir o seu relatório e a sistematização dos arquivos. Ao final desta guia, você encontra um modelo de relatório com perguntas que podem te ajudar na reflexão e elaboração de alguns pontos interessantes de serem memorizados.

Veja o que a motiva e coloque a mão na massa:

  • Salvar arquivos e documentos: essa etapa é importante para você ficar tranquila em relação às burocracias legais que você assumiu com a sua candidatura. No tópico 9.7 do Manual de Prestação de Contas do TSE, há a especificação de quais documentos precisam ser enviados digitalmente e a forma de salvá-los para o envio correto. Vale a pena antes de enviar, verificar se todos os arquivos referentes a cada pagamento estão completos, se os comprovantes de todas as transações financeiras e das doações, dentre outras movimentações que precisam ser comprovadas, estão sendo devidamente enviadas, e depois dessa confirmação, fazer o espelhamento dos mesmos.

Garanta que você possui cópia de tudo e que os arquivos e documentos podem ser facilmente encontrados (nomeie de forma clara, organize uma planilha com os ítens que estão sendo salvos e onde, e se for um armazenamento virtual, você ainda pode por o link de acesso a cada um deles). Caso você esteja na situação de prestação de contas parciais ou receba uma diligência, você conseguirá responder dentro do prazo dos 3 dias estabelecidos pelo sistema eleitoral. 

Mesmo que você tenha uma contadora e/ou uma administradora, sugerimos que você, candidata, tenha cópia de tudo e esteja por dentro da sua prestação de contas, já que, no fim, a responsabilidade é sua e o nome que está  em jogo é o seu.

Dica: não custa dizer de novo – salve todos os esses arquivos, tenha backup e cópia física (se achar necessário). Resguarde-se o máximo que puder sobre a sua prestação de contas.

  • Gerar conhecimento sobre campanha eleitoral: analisar a sua campanha de forma crítica e sistematizar o aprendizado é uma forma de gerar conhecimento sobre campanhas eleitorais, tema este ainda escasso de informações sistematizadas, principalmente no campo prático. 

Olhando agora, com a realização da campanha ainda recente, pode parecer um excesso de zelo. Mas, na verdade, as informações ainda estão quentes para você e para o seu time, sendo um bom momento para organizá-las, refletir sobre os dados gerados de forma crítica e, a partir daí, gerar informações técnicas e/ou críticas. Se você deixar o tempo passar, correrá o risco de perder informações importantes para o esquecimento, ou até de perder a motivação em produzir, já que quanto mais distante, mais trabalho você terá.

Sugestões de informações para compor a parte Técnica e Crítica do seu relatório:

  • Frentes de Ação ou Estrutura da sua CampanhaComo você organizou a sua campanha (comunicação, mobilização, gestão, administrativo-financeiro etc.)? Como organizaria diferente hoje?
  • Quantidade e perfis das pessoas no seu timeQuais profissionais ou pessoas com um conhecimento técnico específico participaram? Quais perfis sentiu falta. O que faria diferente?
  • Análise do seu orçamento por FrentesValor bruto de cada frente, divisão em subáreas, análise se funcionou, se faltaram recursos para algo estratégico e se investiria o recurso de forma diferente?
  • Sua estratégia de Comunicação e as algumas peças da campanha – salve dados de engajamento, principalmente de sucesso e de fracasso, para lembrar depois o que funcionava e o porque?
  • Captação de Recursos Como foi feita, quanto você captou, quantas pessoas doaram, os contatos dos seus doadores, se você atingiu a sua meta ou não, e o que faria diferente?
  • Administrativo-Financeiro Como você organizou o processo de pagamentos, contratações, controle orçamentário? Teve uma pessoa dedicada a essa frente ou foi você, candidata, quem executou? Teve a prestação de contas aprovadas facilmente, ou não? O que faria diferente?
  • Mobilização Qual foi a sua estratégia? O que funcionou? Contou com voluntários? Em qual frente? Fez chamados públicos sobre isso? 
  • Registro afetivo do processo eleitoral: talvez essa seja a sessão mais importante deste relatório,  já que se bem registrada, ela pode futuramente te ajudar a tomar decisões sobre enfrentar ou não uma nova candidatura. 

A ideia aqui é você registrar alguns sentimentos, sensações, desejos íntimos que te levaram a encarar o desafio, que sabemos que nem sempre são lógicos. 

Também vale escrever um pouco sobre o seu contexto, dados da política local, estímulos externos que fizeram sentido para você no momento da sua decisão. Essas informações podem ser que mudem de uma eleição para outra, como podem ser que não, e isso também pode ser um motivador para novas corridas eleitorais, sejam suas ou de pessoas próximas. 

  • Banco de Inspiração

Como candidata, com certeza você viu muitas coisas que te inspiraram em outras campanha, mas que você não conseguiu utilizar na sua campanha. Vale você garimpar essas inspirações, organizar, escrever um texto de memória sobre elas para, futuramente, poder utilizar em novas oportunidades.

Dicas: salve não apenas as imagens, textos ou vídeos, mas os links de onde foram postados (isso vale também para o material da sua campanha). Assim, tudo poderá ser encontrado facilmente num futuro próximo.

É isso, animou? Se sim, confira também nossa sugestão de modelo para produzir seu relatório… e bom trabalho!

Faça o Download

 

 

 

Im.pulsa

Plataforma online, aberta e gratuita para inspirar, treinar e conectar a próxima geração de mulheres líderes na América Latina, auxiliando-as a superar desafios e produzir campanhas políticas vencedoras. Oferece formação política para mulheres por meio de produtos práticos com linguagem acessível, afetiva, feita por e para mulheres.

e-mail

Fique por dentro!

Receba as novidades da Im.pulsa no seu e-mail