Im.pulsa

Como construir um movimento político para eleger ativistas?

Sobre a trilha

Essa Trilha foi elaborada a partir de trechos da cartilha da Bancada Ativista chamada "Como construir um movimento para eleger ativistas", que tem como objetivo apresentar a história de criação do movimento, suas estratégias e os aprendizados sobre as evoluções do projeto político durante o período de duas campanhas eleitorais (2016 e 2018) - e, quem sabe, inspirar o surgimento de mais movimentos eleitorais Brasil a dentro.

Fevereiro 24, 2021. Por Bancada Ativista

Aprendizados da Bancada Ativista sobre movimentos políticos eleitorais

Confira alguns aprendizados acumulados na experiência da Bancada Ativista e de movimentos parceiros sobre a criação de movimentos políticas eleitorais:

  • Acreditar que as mudanças no universo da política podem e devem ser feita pela sociedade civil é mais que necessário! Precisamos de coragem para colocar inúmeros movimentos nas ruas de todo o país.
  • Construir novas estéticas, narrativas e formatos de comunicação para falar sobre política tem se mostrado acertado e conseguido reaproximar as pessoas da política, apesar das inúmeras crises e dos esforços de criminalização presentes nos últimos anos.
  • Criar campanhas de baixo orçamento e alto engajamento social é o grande desafio do universo eleitoral, nesse momento, para inserção de representantes diversos, mais populares e não oriundos da elite econômica do nosso país. 
  • Gerir voluntários de uma forma produtiva, que gere engajamento e sentimento de pertencimento, exige um bom plano de ação e gente da equipe dedicada especialmente para isso. 
  • Coletar contatos das pessoas interessadas no seu movimento, organizá-los e criar uma boa metodologia de uso não é simples. Sugerimos que haja pelo menos uma pessoa dedicada ao banco de contatos. Se um dos canais escolhidos for o uso de aplicativos de mensagens (Whatsapp ou Telegram), é sugerido que o seu movimento tenha um celular apenas para isso (não use o pessoal de alguém do movimento).
  • A frente de articulação é tão importante quanto a frente de comunicação para a conquista de novos públicos, territórios e parceiros.
  • Buscar ajuda de advogados eleitorais pode ser bastante construtivo, já que eles podem contribuir para que movimento não cometa ilegalidades. Porém, é importante tomar cuidado para não se limitar demais diante de qualquer risco, buscando analisar as possibilidades apresentadas pelos mesmos com um olhar criativo e ativista.
  • Congregar pessoas diversas em torno de um movimento eleitoral é necessário, e uma das formas de fazer isso é evitando posicionamentos detalhados sobre pautas específicas que gerem mais problematização do que ação. Especialistas tendem a ter uma opinião fechada sobre os assuntos que dominam, e os ânimos podem se exaltar caso sintam que sua visão está sendo confrontada. Criar uma forma de atuação que contemple e acolha visões progressistas diversas, focando mais no que nos une do que no que separa, é uma forma de apresentar uma visão de mundo clara sem perder públicos possíveis por divergências pontuais. 
  • Campanha eleitoral é máquina de moer gente – e o papel do movimento em oferecer apoio emocional a seus membros e candidatos é tão importante quanto o pragmático de construir uma campanha vitoriosa.
  • Gerir um movimento requer dedicação, frequência, paciência, capacidade de articular interesses distintos e saber andar pra frente, mas, também, voltar uns passos atrás em prol da coletividade. Tenha consciência dos movimentos e não fique parado! 

 

CONFIRA A PUBLICAÇÃO COMPLETA DA BANCADA ATIVISTA:

BA Guia01

 

Bancada Ativista

Grupo de cidadãos da cidade de São Paulo com atuação em múltiplas causas sociais, econômicas, políticas e ambientais que se uniu para dar suporte a candidaturas ao legislativo, visando a oxigenação da câmara dos vereadores e o aprendizado coletivo.

e-mail

Fique por dentro!

Receba as novidades da Im.pulsa no seu e-mail